Enxerto Osseo

Técnica é utilizada para reconstruir a área que perdeu altura ou espessura.

Pessoas que perderam um ou mais dentes devido a acidentes ou extrações sempre pensam em reconstituir sua arcada dentária para poderem sorrir sem constrangimento. Para isso, o implante seria uma boa opção, mas em alguns casos, somente essa técnica não é suficiente.

Algumas pessoas, quando perdem os dentes, também sofrem com a atrofia, ou reabsorção óssea, os ossos da região ficam com menos espessura e altura e pode ocorrer o aumento do tamanho do seio maxilar, o que impede a colocação de implante. Além disso, as expressões ficam limitadas, a boca murcha e a fala também pode ser alterada.

Nesses casos, o enxerto ósseo serve para permitir a realização do implante, devolvendo o volume perdido ao osso atrofiado. Para essa técnica, o cirurgião dentista pode utilizar material ósseo do próprio paciente, retirado da boca, em reconstruções pequenas e de outros locais como o osso da bacia (ilíaco) ou da calota craniana (parietal) para grandes extensões. Nas situações de enxertos menores, o procedimento pode ser feito no próprio consultório com o uso de anestesia local. Já para áreas maiores, a intervenção cirúrgica, em um hospital e uma equipe maior e multidisciplinar, pois o enxerto é colocado com anestesia geral.

Os enxertos ósseos podem ser realizados com materiais artificiais, mas o enxerto que apresenta os melhores resultados é com o osso do próprio paciente que é obtido de outra região da boca. Pode ser feito em bloco ou fragmentado para elevar a membrana do seio maxilar (levantamento do seio maxilar). Os enxertos ósseos são mais invasivos, já que são um suporte para o implante normal, mas pessoas que perderam seus dentes há muitos anos ou que não conseguem utilizar a prótese dentária, por qualquer motivo, podem recorrer a essa técnica.

Clique e veja mais detalhes sobre implantes.